segunda-feira, 17 de outubro de 2016

. cadê?

Por onde anda um olhar que eu tinha quando as coisas sem sentido eram apenas coisas sem sentido, para as quais eu não fazia questão de explicação;
Quando conseguia olhar com brilho para coisas tão simples quanto desapercebidas;
E quando era capaz de acreditar e reinventar o caminho pra continuar prosseguindo... 
Por onde anda meu olhar de poesia?

.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Atire por esta janela suas impressões sobre este post. Sinta-se à vontade para defenestrar o que quiser: elogio, reclamação, dúvida, angústia, sugestão...
Só não vale usar de má educação. O respeito deve vir em primeiro lugar!